Search
terça-feira 21 maio 2024
  • :
  • :

Programação do Setembro Amarelo da Secretaria de Saúde

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, são registrados no Brasil aproximadamente 14 mil casos de suicídio por ano. Quase que 100% dos casos estão relacionado a doenças mentais.

Pensando nisso, a Secretaria de Saúde está com uma vasta programação sendo desenvolvida em todos os setores, principalmente, por meio CAPS, com o objetivo de esclarecer e informar sobre a prevenção ao suicídio.

Nas salas de espera das Unidades Básicas de Saúde, seja no atendimento durante o dia ou no atendimento noturno, e no CAPS, os usuários, inclsuive o grupo de gestantes, podem acompanhar as palestra e esclarecimentos com psicólogos, profissionais da sala do trabalhador, nutricionistas, psiquiatra, educadores físicos e psicopedagoga.

Para a secretária de saúde, Tanniery Lêla “erros e preconceitos vêm sendo repetidos, fazendo com que as pessoas sejam levadas a se sentirem envergonhadas, excluídas e discriminadas e não falem do assunto ou como se sentem”.

Para tanto, o Conselho Federal de Medicina (CFM) publicou uma cartilha chamada: “Informando para Prevenir” onde destaca alguns dos mitos sobre o comportamento suicida. São alguns tópicos:

  • Mito: o suicídio é uma decisão individual, já que cada um tem pleno direito a exercitar seu livre arbítrio. (Falso).
  • Verdade: suicidas estão passando, quase invariavelmente por uma doença mental que altera, de forma radical, a sua percepção da realidade e interfere no seu livre arbítrio.
  • Mito: quando uma pessoa pensa em se suicidar terá risco de suicídio para o resto da vida. (Falso).
  • Verdade: o risco de suicídio pode ser eficazmente tratado e, após isso, a pessoa não estará mais em risco.
  • Mito: as pessoas que ameaçam se matar não farão isso, querem apenas chamar a atenção. (Falso).
  • Verdade: a maioria dos suicidas fala ou dá sinais sobre suas ideias de morte. Boa parte dos suicidas expressou, em dias ou semanas anteriores, frequentemente aos profissionais de saúde, seu desejo de se matar.
  • Mito: se uma pessoa que se sentia deprimida e pensava em suicidar-se, em um momento seguinte passa a se sentir melhor, normalmente significa que o problema já passou. (Falso).
  • Verdade: se alguém que pensava em se suicidar e, de repente, parece tranquilo, aliviado, não significa que o problema já passou. Uma pessoa que decidiu tirar a própria vida pode se sentir melhor ou sentir-se aliviada, simplesmente por ter tomado a decisão de se matar.
  • Mito: quando um indivíduo mostra sinais de melhora ou sobrevive a uma tentativa de suicídio, está fora de perigo. (Falso).
  • Verdade: um dos períodos mais perigosos é quando se está melhorando da crise que motivou a tentativa, ou quando a pessoa ainda está no hospital, na sequência de uma tentativa. A semana que se segue a alta do hospital é um período durante o qual a pessoa está particularmente fragilizada.
  • Mito: não devemos falar sobre suicídio, pois isso pode aumentar o risco. (Falso).
  • Verdade: falar sobre suicídio não aumenta o risco. Muito pelo contrário, falar com alguém sobre o assunto pode aliviar a angústia e a tensão que esses pensamentos trazem.

A cartilha completa com dados sobre prevenção, orientações sobre identificação de comportamentos suicidas e a posvenção que inclui as habilidades para cuidar de quem fica e está ligado ao protagonista suicida, como familiares, amigos, etc.; está no link abaixo:

https://www.flip3d.com.br/web/pub/cfm/index9/?numero=14#page/1

Dúvidas e Informações:

(83) 9 9366 4594 (Secretaria de Saúde/Atenção Primária)

0800 083 1403 (Ouvidoria)

ouvidoriamunicipaldesume@gmail.com

Ascom

12/09/2023